Tempo de leitura: 6 minutos

Que a lâmpada de LED é a opção mais econômica e eficiente do mercado você já sabe, certo? Além disso, ela tem baixa emissão de calor, não emite raios ultravioletas nem infravermelhos e é mais durável e reciclável.

O que talvez você não saiba é que existem vários tipos de LED, com tamanhos, cores e intensidades diferentes. E cada um deles tem uma função específica, vantagens e desvantagens. Então, quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo e conheça tudo sobre a iluminação LED e como funcionam os produtos com essa tecnologia!

Como funciona um LED?

LED é o nome da tecnologia utilizada pelas lâmpadas com diodo emissor de luz. O diodo é um componente eletrônico que é capaz de emitir luz visível ao transformar a energia elétrica em energia luminosa em um processo conhecido como eletroluminescência. Para fazer isso, as lâmpadas de LED utilizam materiais semicondutores, como o arsenieto de gálio e o alumínio, o fosfato de alumínio, o índio e o gálio, o fosfato de gálio e o nitreto de gálio.

Dependendo do tipo de semicondutor utilizado no LED, a eletroluminescência se manifesta de maneira diferente. Os componentes podem, por exemplo, adicionar uma cor específica à luz emitida e controlá-la por meio de dimerização, ou seja, do aumento ou redução da intensidade da luz percebida pelo olho humano.

Há muitos benefícios em utilizar a eletroluminescência em detrimento da incandescência (lâmpadas tradicionais) ou da fluorescência (lâmpadas fluorescentes). A eficiência das lâmpadas de LED é maior, a vida útil delas é aumentada e os componentes utilizados para fazê-las são menos nocivos ao meio ambiente. Por isso, hoje esse é o material escolhido para os melhores projetos de luminotécnica, graças ao alto rendimento que oferecem e ao dinamismo oferecido pelas lâmpadas de LED.

Qual é a voltagem de um LED?

O primeiro LED produzido no mercado emitia apenas a luz vermelha. Por isso, até um certo ponto, esse recurso era utilizado apenas como um componente em eletrônicos para demonstrar em que estado eles estavam (ligado, desligado ou em stand-by). A utilização de outros tipos de diodos tornou o LED doméstico possível, fazendo com que essas lâmpadas pudessem ser visíveis em mais de uma cor e não apenas no tom vermelho. Por isso, no mercado, você encontrará inclusive alguns LEDs RGB, siglas dos termo em inglês Red (vermelho), Green (verde) e Blue (azul).

Com essas três cores de luz é possível criar qualquer outro tipo de cor do aspecto visível e, por isso, saber a tensão desse tipo de lâmpada é fundamental na hora de comprar. É com o valor da tensão que você controlará a cor visível do LED.

Abaixo você confere, respectivamente, qual a queda de tensão e corrente máxima para obter cada uma das cores possíveis no espectro do LED:

  • vermelho: 1.8 V, 0.02 A;
  • verde: 2.1 V, 0.02 A;
  • amarelo: 2.0 V, 0.015 A;
  • laranja: 2.0 V, 0.02 A;
  • azul: 3.1 V, 0.02 A;
  • branco: 3.1 V a 4.0V, 0.02 A; e
  • infravermelho: 1.1 V, 0.02 A.

Quais os benefícios dos LEDs?

Agora que as lâmpadas incandescentes tradicionais foram proibidas no Brasil, o LED e as lâmpadas fluorescentes disputam o mercado pelo consumidor. Mas qual deles você deve escolher para o projeto da sua residência?

Confira alguns dos benefícios que só as lâmpadas de LED podem trazer para o seu projeto luminotécnico.

Mais economia

As lâmpadas fluorescentes são bastante econômicas, mas não se comparam aos LEDs. Estes podem durar muitos anos mais que elas, além de consumirem bem menos energia.

Melhor custo-benefício

Embora as lâmpadas de LED exijam um investimento inicial um pouco maior, elas têm também uma durabilidade melhor do que a de outras lâmpadas. Por isso, o retorno sobre o investimento oferecido por esse produto é muito melhor para o consumidor e vale a pena gastar um pouco mais com o recurso.

Mais sustentabilidade

Outro problema com as lâmpadas fluorescentes é que elas poluem mais. Quando descartadas de forma incorreta, essas lâmpadas podem secretar mercúrio e fósforo, dois componentes que poluem rios e mares, além de serem tóxicos para o consumo humano.

Se a sustentabilidade é uma prioridade no projeto da sua casa, considerar o uso de lâmpadas de LED fará toda a diferença para chegar aos resultados que espera!

Mais segurança

Um dos problemas que fez com que as lâmpadas incandescentes fossem removidas do mercado foi o quanto elas esquentavam. Isso representava um risco tanto na sua troca quanto de incêndio caso houvesse qualquer defeito no produto ou proximidade a item combustível.

Com as lâmpadas de LED esse risco é zero. Elas não utilizam o calor para iluminar e sim a eletroluminescência, uma tecnologia menos arriscada e mais estável para o uso em residências.

Menos manutenção

Como a durabilidade das lâmpadas de LED é maior e elas não queimam como as incandescentes e fluorescentes, as manutenções são mais frequentes. Isso significa menos visitas a lojas elétricas e menos trocas de lâmpadas residenciais.

Possibilidades infinitas

Com os LEDs RGB a sua decoração ganha possibilidades infinitas. É possível projetar qualquer cor do espectro visível na sua sala de estar, quarto ou até no jardim. O que não faltará com um projeto de LED é criatividade para que a sua casa se destaque em relação às demais.

Além disso, esse tipo de lâmpada oferece um benefício que nenhuma das outras tecnologias entrega: a dimerização. Mesmo com lâmpadas de apenas uma cor você poderá customizar os espaços, pois sempre será possível aumentar ou diminuir a intensidade da luz conforme o uso.

Quais são os tipos de LED disponíveis no mercado?

Como você pôde ver, LEDs se comportam de maneira diferente e, portanto, há muitos tipos distintos que utilizam a mesma tecnologia para obter a luz a partir da eletroluminescência.

Abaixo, conheça alguns desses itens e entenda como eles se diferenciam.

LED comum

Esse tipo de luz é mais difusa, distribuída em encapsulamentos de plástico geralmente opaco, com pontos onde a luz é mais forte e outros onde ela é mais fraca. Essa lâmpada costuma ter um formato de bulbo e diversas temperaturas, desde brancas azuladas e frias até as mais amareladas e quentes.

LED de alto brilho

Esse tipo de LED tem um brilho mais intenso que a de LED difuso e um encapsulamento transparente, com luz focada, concentrada em uma só direção e ângulo. Ele é comumente usado como sinalizador em projetos eletrônicos e tem várias cores.

Os LEDs de alto brilho são, até hoje, muito utilizados nos eletrodomésticos, e é provável que você tenha em sua casa pelo menos um item em que esse tipo de iluminação esteja presente. As caixas de TV a cabo, por exemplo, contam com um LED de alto brilho para mostrar se estão ligadas, desativadas ou em stand-by, e alguns telefones celulares apostam nos LEDs para identificar notificações e chamadas perdidas.

LED RGB (tricolor)

Essa é uma lâmpada de alta tecnologia, podendo ser difusa ou transparente, e tem três cores: vermelho (R), verde (G) e azul (B), nas siglas em inglês. Essas cores podem ser acesas individualmente ou em conjunto, formando outras cores.

Quais são os principais produtos de LED?

Além dos três tipos vistos anteriormente, a tecnologia LED ainda pode ser reproduzida em diversos produtos diferentes. Vejamos, então, alguns dos principais:

Fitas

Como o próprio nome já diz, tem o formato de uma fita, que pode ser adquirida em vários tamanhos. Dentro dela há LEDs minúsculos, que podem ser controlados em conjunto, acesos ao mesmo tempo, piscando ou variando as cores. Tem sido muito usada em decorações, iluminando bancadas e prateleiras.

Refletores

Os refletores LED podem ser usados em áreas internas ou externas. Ficam perfeitos em jardins, dando um efeito de luz e cor. São, também, bastante utilizados em ambientes profissionais, como fábricas, fachadas de lojas, estacionamentos, quadras poliesportivas etc, por conta da sua alta potência.

Spots

Os spots LED são modernos e estão cada vez mais populares entre arquitetos e designers de interiores, pois podem ser embutidos e oferecem uma luz sutil e direcionada, que deixa os ambientes mais aconchegantes. Podem ser instalados em tetos e forros de gesso, drywall ou madeira, principalmente na sala de estar, no hall e nos quartos.

Luminárias

As luminárias LED oferecem uma luz com foco fixo. Bonitas e elegantes, combinam com qualquer ambiente e estilo de decoração, pois são bastante discretas. No modelo plafon, a luminária pode ser encontrada nos formatos quadrado e redondo. Existem as mais finas — slim, para embutir no teto — e as de sobrepor, que não exigem recorte e podem ser aplicadas facilmente no concreto.

Lâmpadas

Se você já tem um bonito lustre ou precisa de abajures ou luminárias de mesa e de pé para completar a decoração, a melhor opção é comprar lâmpadas LED para colocar em todos esses pontos!

Além de serem mais econômicas, elas têm a vantagem de não esquentar e são mais seguras do que outros modelos, pois funcionam em baixa voltagem. Há vários formatos e tamanhos: bulbo, espiral, mini, milho, vela etc.

Como escolher o LED certo para meu ambiente?

Como vimos, existem diversos tamanhos de LED. Os mais comuns, usados para residências, têm entre 3 mm e 10 mm. Sua luminosidade, porém, não depende do tamanho, mas dos seus lúmens: quanto mais elevados eles forem, mais luz a lâmpada emitirá e menor será o consumo de energia.

Enfim, o ideal é buscar conhecer todas as opções do mercado, pois ainda há outros tipos de LED, além dos que já citamos. Certamente, algum deles atenderá a sua necessidade! Procure um fornecedor especializado para melhor orientá-lo nessa escolha, ok?

E aí, ficou interessado e quer saber mais sobre LEDs? Então entre agora com contato com a Iluminim! Teremos prazer em lhe ajudar.