Desde 1879, quando a lâmpada incandescente foi inventada por Thomas Edison nos Estados Unidos, muita coisa mudou. Nada mais natural que essa tecnologia também tenha evoluído. Hoje, diversos tipos de lâmpada podem ser encontrados no mercado, prontos para atenderem às suas necessidades.

Mas será que você conhece todos os tipos de lâmpadas e sabe identificar qual é a mais recomendada para iluminar sua casa ou apartamento? No guia de hoje, aprenderemos a diferença entre os principais tipos de lâmpada e entenderemos como escolher. Vamos lá?

Quais são os tipos de lâmpada?

Embora anteriormente tenhamos mencionado a lâmpada incandescente, ela foi só a primeira de muitas e hoje não pode mais ser encontrada no mercado. Isso não é um problema, pois as que vieram após essa lâmpada pioneira são menos danosas para o meio ambiente e têm durabilidade maior.

A lâmpada incandescente converte energia elétrica em calor e energia luminosa. Há um pequeno fio de tungstênio dentro dela que quando energizado aquece e se transforma em uma lâmpada incandescente que emite luz. Ela é composta por um bulbo de vidro, a base e o contato no exterior da lâmpada, e o interior com filamento de tungstênio, eletrodo, fio de sustentação, esteme, fusível e tubo de exaustão.

Lâmpadas fluorescentes, de LED e halogênio tomaram o lugar da lâmpada incandescente e trouxeram muito mais satisfação para os consumidores. No infográfico e nos tópicos abaixo você entende o porquê!

Lâmpadas fluorescentes

As fluorescentes vêm primeiro na nossa lista não só porque são um tipo muito comum de lâmpada, que você encontra tanto em residências quanto em locais públicos, mas também porque foram inventadas antes. Data de 1938 a sua criação. Essa pregnância no mercado também não é difícil entender.

Quando comparada a uma lâmpada incandescente, a fluorescente consome apenas 80% da energia e tem tempo de vida de até 24 mil horas. Você pode encontrá-la não só nas versões coloridas, mas também com luz amarela que se assemelha à obtida com lâmpadas fluorescentes. Há dois modelos comuns: compactas e tubulares.

Partes da Lâmpada Fluorescente

As lâmpadas fluorescentes funcionam ionizando átomos de argônio e vapor de mercúrio. Após a ionização, os átomos são acelerados pela diferença de potencial estabelecida entre os terminais das lâmpadas e emitem ondas eletromagnéticas ao retornar ao seu estado natural. Essas lâmpadas são mais eficientes do que as lâmpadas incandescentes porque não geram calor, portanto têm maior durabilidade e economizam energia.

Lâmpada de halogênio

A lâmpada de halogênio é um tipo de lâmpada incandescente, mas que ainda pode ser vendido no Brasil porque está fora da faixa de potência entre 41 e 60W, e portanto, não oferece risco. Essa lâmpada acende com uso de um halogênio como bromo ou iodo, por isso recebe esse nome.

Muito utilizada para criar ambientes com design industrial ou uma pegada mais rústica em seu design, essa lâmpada tem um importante fator decorativo. Geralmente, ela é aplicada em decorações apenas em alguns objetos específicos como luminárias de teto e de chão.

As halógenas são também mais eficientes do que as lâmpadas incandescentes tradicionais, e podem durar por até 5000 horas de funcionamento.

Partes da Lâmpada Halogênio

A luminosidade é gerada pelo processo químico produzido pelo gás halogênio liberado da casca. O gás reage com o vapor de tungstênio. Quanto mais alta a temperatura, mais o gás entra em contato com o fio de tungstênio. Não é aconselhável tocar na lâmpada bulbo sem a utilização de luvas, pois o contato com gorduras e impurezas da pele em seu bulbo pode ocasionar a diminuição da sua vida útil.

Lâmpadas de filamento

As lâmpadas de filamento são outro tipo de lâmpada com amplo potencial decorativo. Elas são parecidas com as incandescentes, mas feitas em formatos especiais para integrar objetos de decoração como luminárias e pendentes.

Embora ofereçam boa capacidade de iluminação, não são econômicas ou eficientes como as lâmpadas fluorescentes e de LED e, portanto, geralmente são usadas em apenas algumas áreas da residência para dar a ela um charme especial.

Partes da Lâmpada Filamento

Quando você liga a lâmpada, a corrente flui através dos filamentos em ambas as extremidades dela. O aquecimento provoca a liberação de elétrons, que entram em contato com o argônio e o vapor de mercúrio contidos nos tubos de vidro que compõem a lâmpada. Depois que os elétrons atingem, o gás na lâmpada é ionizado. Nesse caso, a tendência dos átomos de gás é que a emissão de fótons volte ao seu estado original.

A radiação emitida por fótons pode ou não ser visível em condições de radiação ultravioleta. Se a radiação emitida for ultravioleta, ela será absorvida pelo revestimento do tubo de vidro e convertida em radiação visível.

Lâmpadas de LED

As lâmpadas de LED são a evolução que faltava para as lâmpadas domésticas e, ao contrário das lâmpadas decorativas que vimos nos tópicos anteriores, são não apenas bonitas, mas também muito eficientes.

A redução do consumo de energia com lâmpadas de LED é de 80 a 90%, e o fato de que elas apresentam uma vida útil longa faz com que tenham performance imbatível quando o assunto é durabilidade.

Em vez de utilizar a queima de um catodo para gerar luz, as lâmpadas de LED utilizam um diodo emissor de luz capaz de acender centenas de milhares de vezes sem “queimar”. Por isso, elas são muito eficazes para a iluminação doméstica e oferecem excelente custo-benefício.

Partes da lâmpada LED

Primeiramente, é importante saber que o sistema de lâmpadas LED gera uma carga térmica ao converter eletricidade em luz, mas não emite raios infravermelhos. Para reduzir a temperatura da lâmpada é utilizado um dissipador de calor. O LED elimina o calor gerado pelo dissipador presente em todas as lâmpadas ou equipamentos por meio dessa tecnologia, por isso é muito importante utilizar lâmpadas projetadas para esse fim. O alumínio também é uma parte indispensável do corpo principal da lâmpada LED, é um excelente dissipador.

A estrutura da lâmpada LED conta com o bulbo de vidro de alta transmissão, soquete de níquel, peça de plástico resistente a altas temperaturas e isolamento perfeito no seu exterior, e no interior da lâmpada temos filamentos de led soldados, corrente de chips de LED que é derretida por um fio-guia, base com fio-guia feito de vidro, isolamento perfeito e seguro e driver CVCC: corrente constante e acendimento rápido.

Como escolher a lâmpada certa?

Agora que você já sabe como funciona cada tipo de lâmpada, é hora de conferir as nossas dicas para escolher a lâmpada certa para o seu ambiente.

Leia Também: Lâmpada Inteligente: o que é e como funciona

Considere o uso do espaço

A maneira como utilizará cada ambiente da sua residência faz diferença no tipo de iluminação que ele deve ter. Considere também as fontes de luz natural e quanto sol incide no espaço.

Pense luzes diretas e indiretas

Para criar uma ambientação legal em qualquer ambiente da sua casa, será preciso contar tanto com fontes de luz diretas quanto indiretas. Por isso, não foque apenas nos plafons e spots que instalará na sua casa, mas também pense em adquirir luminárias, arandelas e spots de chão para ambientar os seus espaços.

Verifique o consumo

Por quanto tempo as luzes da sua casa ficam aceitas? Coloque na ponta do lápis quanto cada uma das opções de iluminação custa.

Você verá que, muitas vezes, investir em uma luz LED trará um melhor custo-benefício graças à durabilidade deste equipamento. Com menos trocas você recupera o que gastou com as lâmpadas novas rapidinho.

Por que escolher lâmpadas de LED?

Como você viu, de todos os tipos de lâmpadas disponíveis no mercado, é a de LED a que mais apresenta vantagens para o consumidor. Economia, longa vida útil e alta qualidade da iluminação são apenas algumas das vantagens que você pode esperar com esse tipo de lâmpada. Descubra todas nos tópicos abaixo!

Economia

O investimento em uma lâmpada de LED é maior, mas o custo-benefício do equipamento é ótimo. Cerca de 80% da energia gasta com uma lâmpada de LED é convertida em luz.

Com lâmpadas comuns, apenas 20% da conta de energia se converte realmente em iluminação. Ou seja, dá para gastar muito menos com a sua companhia elétrica e obter melhores resultados.

Vida útil

A vida útil de uma lâmpada de LED é muito mais longa do que de outros tipos de lâmpada. O modelo pode passar até 100.000 horas aceso, o que equivale a 11 anos ligada em tempo integral.

Meio ambiente

Preocupado com o impacto que o seu consumo faz no meio ambiente? As lâmpadas de LED ajudarão você a reduzir a sua pegada de carbono. Além de consumir menos energias, elas são livres de componentes químicos e são o único modelo de lâmpadas que é 100% reciclável.

Conhecer melhor todos os tipos de lâmpada é fundamental para encontrar aquela certa para o seu projeto. Lâmpadas de LED são econômicas, duráveis e oferecem excelente performance. Portanto, se está pensando em atualizar o projeto de iluminação da sua casa, leve isso em consideração para não errar na escolha.

Gostou deste artigo sobre os tipos de lâmpada mais comuns e quer começar o seu projeto quanto antes? Fale agora mesmo com a equipe da Iluminim e solicite um orçamento.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.