Tempo de leitura: 4 minutos

Não é mais novidade para ninguém que as lâmpadas LED são mais funcionais e apresentam excelentes benefícios. O fato se comprova quando lembramos que a produção de lâmpadas incandescentes já foi encerrado no país. Entre os principais fatores que fazem a incandescente perder essa batalha, está relacionada à duração de lâmpada LED.

Há muitas variações que devem ser levadas em conta no momento de definir a durabilidade da lâmpada. É preciso considerar desde o fabricante do produto até a sua capacidade luminosa, pois esses aspectos ajudam identificar se o item pode durar por mais ou menos tempo.

Se você tem dúvidas quanto a duração das lâmpadas e não sabe qual comprar, confira mais detalhes sobre a lâmpada LED para não errar na escolha!

Quais as vantagens da lâmpada LED?

Não é difícil convencer de que as lâmpadas LED são as mais vantajosas do mercado. Apesar de seu preço ser um pouco mais elevado em comparação a outros tipos de lâmpadas, o custo-benefício de fazer o seu projeto de iluminação com ela acaba compensando no final das contas.

Há uma série de benefícios em utilizar as lâmpadas LED. Para que você conheça mais sobre esse produto, é preciso descobrir quais são essas vantagens, não é mesmo? Por isso, confira a seguir alguns dos motivos que fazem esse tipo de lâmpada ser tão atrativa.

Baixo consumo

Essa deve ser a característica que mais chama atenção nas lâmpadas LED: a alta eficiência aliada ao baixo consumo de energia elétrica. A lâmpada emite o mesmo fluxo luminoso que as outras, mas com a vantagem de ser até 80% mais econômica que as incandescentes e a diferença para a fluorescente é de 30% (em uma comparação utilizando lâmpadas com 20 W de potência).

Boa potência

A potência (watts) deve ser analisada em conjunto com a quantidade de lúmens. Os watts dizem respeito ao consumo de energia, mas não estão relacionados com a emissão de luz do produto. A vantagem do LED é seu baixo consumo com alta luminosidade. 

Uma lâmpada LED emite a mesma quantidade de luz que uma lâmpada incandescente gastando muito menos energia. O LED gasta apenas 6 W e tem o fluxo luminoso de 470, enquanto a incandescente gasta 40 W e tem o fluxo de 480.

Baixa emissão de calor

Esse também é um dos fatores que a tornam mais econômica. Isso ocorre porque outros tipos de lâmpadas transformam parte da energia consumida em calor, enquanto o LED utiliza somente o suficiente para gerar um bom fluxo luminoso com uma emissão de calor muito baixa.

Elas produzem pouca luz infravermelha e quase não emitem raios UV, e por isso também não geram calor como as outras lâmpadas.

Sustentável

Esse tipo de lâmpada também é amiga do meio ambiente, pois não contém elementos tóxicos e prejudiciais, como é o caso das lâmpadas fluorescentes que têm mercúrio em seu interior. Cerca de 98% dos materiais usados como componentes da lâmpada LED são recicláveis.

Além disso, por terem uma vida útil longa, ela também se torna mais sustentável e ajuda a produzir menos lixo a longo prazo.

Mais segura

Esse tipo de lâmpada é bem mais confortável e não causa cansaço visual, que é o que ocorre com as lâmpadas fluorescentes, já que elas emitem radiação ultravioleta. Por não ter mercúrio e outros componentes danosos, as lâmpadas LED já garantem uma segurança maior.

A baixa voltagem e baixa radiação também tornam a escolha do produto mais segura.

Qual o tempo de duração de lâmpada LED?

É necessário levar em conta vários detalhes para determinar a duração de uma lâmpada LED, mas o que todos sabem com certeza é que ela tem uma vida útil longa. O produto é fabricado para durar cerca de 30 mil horas de uso, o que pode durar décadas, dependendo da frequência de utilização por horas/dia.

Uma questão frequente é sobre o fim da lâmpada: se após o período de uso, ela queima ou não. Mas a verdade é que, diferentemente das fluorescentes e incandescentes, a lâmpada de LED não queima devido seu drive interno. O que ocorre é que, com o passar do tempo, ela perde luminosidade e o brilho vai se dissipando.

Um dos influenciadores na longevidade é o ciclo do interruptor. Ele indica a quantidade de vezes que uma lâmpada pode ser ligada e desligado antes que pare de funcionar. Ou seja, em lugares onde as luzes são ligadas e desligadas com frequência, como seria o caso do banheiro de um ambiente corporativo que atende muitas pessoas. Assim, a tendência é que a vida útil dela seja relativamente menor.

O que fazer para as lâmpadas durarem mais?

A má conservação é uma das principais razões das lâmpadas LED não durarem todo o período a que são destinadas. Os LEDs funcionam a 12V e são ligados a retificadores, que são dispositivos que deixam a corrente contínua e constante. Isso significa que a luz é alimentada da forma correta, o que aumenta a vida útil do produto.

Um fator prejudicial é a exposição ao calor, como em perto de fogões. Há também a incidência direta da luz solar ou lâmpadas com dissipador de calor ruim. Por isso, para que durem, é preciso conferir as recomendações do fabricante e, assim, instalar e manter o produto da forma certa para evitar que deteriorem mais rapidamente e durem menos que o esperado.

Qual dura mais: LED, fluorescente ou incandescente?

Cada um desses tipos de lâmpadas têm características distintas, e a durabilidade é uma das que mais fazem diferença. A vida útil de uma lâmpada incandescente dura, em média, apenas 1.000 horas, além de produzir pouca luminosidade e gerar muito calor.

Por sua vez, as fluorescentes são medianas e têm capacidade luminosa até 5 vezes maior que as incandescentes, durando de 10.000 a 15.000 horas. Mas a grande vantagem está na lâmpada de LED, que dura, no mínimo, 25.000 horas acesa com alta capacidade de iluminação e com baixo consumo de energia elétrica.

Está mais do que comprovado que a duração de lâmpada LED é superior e que apresenta mais vantagens que qualquer outro tipo de lâmpada. Assim, não resta dúvidas de qual a melhor escolha para o seu projeto, não é?

Agora que você já conhece os benefícios de escolher LED, aprimore seus conhecimentos aprendendo quantos lúmens tem uma lâmpada de LED!