O país passa por uma crise energética de longo prazo, apontando a diferença nas tarifas de eletricidade na conta luz dos consumidores há bastante tempo. A energia elétrica que usamos em nossas casas é gerada por usinas hidrelétricas, usinas nucleares ou termelétricas, instaladas a milhares de quilômetros de distância. Essa energia é transmitida através de fios para a rede que passa pelas ruas de nossa casa.

No cotidiano, existem alguns dispositivos eletrônicos que são indispensáveis para a realização de diversas atividades, e estes aparelhos requerem energia para funcionar. Cada um desses dispositivos consome uma certa quantidade de energia quando ligados, alguns mais, outros consomem menos, mas no final do mês, o resultado na conta de luz aparece.

Com isso, o custo de energia elétrica se transformou em uma das principais despesas de toda moradia, portanto, entender quais equipamentos que pode consumir mais energia e algumas estratégias para reduzir esse custo é fundamental para economizar dinheiro. Confira!

 Como calcular consumo de energia

Qualquer aparelho que requer energia elétrica possui sua potência apresentada em watts cujo símbolo é W. Geralmente essa informação vem etiquetada no produto ou na embalagem do mesmo. Exemplos: chuveiro = 3.600 W, geladeira = 200 W, e assim por diante. Para potências acima de 1.000 watts, o prefixo “k” é utilizado. Por exemplo, se a potência do dispositivo for 3.000 watts, ele poderá ser especificado como 3.000 W ou apenas 3 kW (kilowatts).

Fazer o cálculo do consumo de energia de um aparelho é muito simples. Basta você multiplicar sua potência pelo tempo de funcionamento em horas. Aqui vai um exemplo para explicar melhor:

“Um secador de cabelo tem a potência de 2kW (2.000 watts) é utilizado durante 10 minutos todos os dias, e isso equivale a 300 minutos (10 minutos x 30 dias) no mês. Após esse resultado você irá transformar esses 300 minutos em horas.  Basta dividir por 60 e obteremos 5 horas de uso do secador de cabelo por mês. Com isso, o aparelho terá consumo de 2 kW vezes 5 horas, ou seja, 10 kWh (quilowatts hora) no mês”.

Cálculo:

1º: 10 minutos x 30 dias = 300 minutos

2º: 300 minutos / 60 minutos = 5 horas

3º:  5 horas x 2kW = 10kWh no mês

Se você souber a potência, essa conta pode ser feita com qualquer aparelho da sua residência. Você também pode optar por acessar o site Enel. Nele você pode fazer uma simulação da energia consumida pelos aparelhos da sua casa de forma rápida e prática.

Melhor horário para consumir energia elétrica

Para que você possa economizar e também fazer o consumo consciente de energia há alguns horários mais adequados para a utilização de energia elétrica.  Você pode concentrar o consumo de energia no início da manhã e à tarde, onde há a adição das chamadas tarifas brancas, o que pode ser uma boa maneira de diminuir o preço da conta no final do mês.

Das 18:00h até 21:00h são os horários de pico de consumo de energia. Isso porque estão funcionando ao mesmo tempo, além das fábricas, a iluminação pública, a iluminação residencial, vários eletrodomésticos e a maioria dos chuveiros.

Aparelhos que mais consomem energia

Depois de todas essas informações você deve estar se perguntando como irá identificar quais são os aparelhos que mais consomem energia elétrica, certo? Mas não se preocupe, aqui vão alguns aparelhos muito potentes que podem aumentar bastante sua conta de luz.

  • Ar condicionado:

Sim, o que as pessoas popularmente falam é verdade. O ar condicionado é um dos aparelhos que mais consomem, cerca de 190 kW por mês se permanecer ligado durante 8 horas por dia. Apesar de ser uma necessidade para as populações de cidades muito quentes, o uso desse aparelho tem seu preço.

  •  Aparelhos em stand by:

Sabe aqueles aparelhos que você deixa na tomada mesmo sem estar utilizando? Pois é, eles também consomem energia elétrica mesmo desligados. Apesar de seu consumo não ser alto, esse hábito pode fazer a diferença no valor da conta de luz.

  • Chuveiro:

Competindo com o ar condicionado, o chuveiro elétrico é outro aparelho que consome muita energia elétrica. Ele pode representar de 25% a 35% do valor da sua conta no fim do mês. Por isso, se atente aos banhos demorado.

  • Cooktop Elétrico:

Por mais surpreendente que seja, o cooktop, um dos eletrodomésticos mais adquiridos nos dias de hoje, é um dos que – juntamente com a geladeira e o chuveiro –  mais consomem energia.  Considerando que é usado por uma hora por dia, estima-se que 68,55 kWh de eletricidade sejam consumidos todos os meses – no simulador, é expresso como R$52,78 por mês.

  • Geladeira:

A geladeira é uma das recordistas em consumo de energia. Para manter os alimentos conservados ela precisa permanecer o tempo todo ligada e isso gera um gasto de quase 57 kW. Como não é possível tirá-la da tomada, o jeito é tomar alguns cuidados como não abrir a geladeira atoa e não utilizar a traseira da geladeira para secar roupas ou afins.

  • Micro-ondas:

O micro-ondas é um aparelho que consome mais energia quando está somente na tomada, sem ser usado, do que quando realmente está ligado em seu pleno funcionamento. Por tanto, quando for comprar um micro-ondas, pense bem e procure por produtos que tenham maior eficiência energética para não se assustar com a conta no fim do mês.

  • Carregadores:

Muitos dos dispositivos que usamos todos os dias (de telefones celulares a ferramentas elétricas) funcionam com baterias recarregáveis. E, é muito comum adquirirmos o hábito de deixar o carregador conectado na tomada, já que daqui a algumas horas voltaremos a carregar os aparelhos. Mas assim como os aparelhos em stand by, os carregadores também consumirão energia mesmo sem estar conectado aos seus respectivos aparelhos. Tome cuidado com isso!

  •  Máquina de lavar roupas:

O consumo da lavadora representa cerca de 2% a 5% da conta total de energia elétrica. Para evitar o gasto de energia desnecessário na hora de lavar roupas, você pode ficar atento a capacidade máxima da máquina e aproveitá-la, assim você consegue utilizá-la menos vezes e economizar não somente energia, como diminuir o consumo de água.

Como reduzir o consumo de energia elétrica na iluminação da residência

Para podermos economizar energia elétrica é preciso muitas vezes fazer algumas mudanças na rotina, e a parte da iluminação de uma residência não deve ser desconsiderada. Aqui no blog da Iluminim já escrevemos alguns conteúdos com dicas para diminuir o consumo de energia, mas aqui vão mais algumas:

Luz Natural:

Aproveitar a luz natural é uma ótima forma para economizar energia elétrica. Durante o dia, deixe as janelas e cortinas abertas e utilize as lâmpadas apenas se forem extremamente necessárias. Janelas de vidro, claraboias, cortinas mais finas e claras, divisórias de vidro ou vazadas, iluminação zenital em geral e ambientes integrados, deixam a casa mais arejada e clara.

Cor da casa:

Uma boa ideia é pintar as paredes e o teto de cores claras, pois elas refletem melhor a luz que entra pelas janelas e iluminam mais o ambiente, exigindo menos luz artificial. Você pode escolher cores como branco, bege e madeiras claras para pisos, paredes e objetos de decoração, deixando assim para colocar alguns móveis com cores mais alegres para compor a decoração do seu ambiente, porém auxiliando na economia de energia.

Invista nas lâmpadas tipo LED:

Substituir as lâmpadas convencionais por lâmpadas LED é uma excelente solução para economizar energia, pois seu consumo médio é reduzido em até 80%. Além disso, elas têm maior durabilidade, o que também economizará dinheiro com o produto. Você notará como o número de lâmpadas de reposição será bastante reduzido, o que compensa o valor do investimento inicial. Em geral, aparelhos e dispositivos voltados para a iluminação são responsáveis por um baixo consumo de energia, principalmente aparelhos com LED. Por isso, invista no LED!

Baixe gratuitamente nosso e-book sobre como economizar energia elétrica e descubra mais 8 dicas!

Viu como consumir energia de forma consciente não é tão difícil? Hábitos simples podem ter um grande impacto na sua conta de luz. Portanto, é importante manter o foco e encontrar maneiras e dicas sobre como economizar eletricidade em casa.

Atitudes conscientes do consumidor é boa para o planeta e para o bolso. Use as técnicas que você viu neste post do blog com sabedoria para que a energia elétrica não se torne a maior vilã no seu orçamento mensal.

Gostou do post e quer continuar lendo conteúdos sobre o mundo da iluminação? Assine a nossa newsletter e receba as novidades diretamente na sua caixa de e-mail!