Tempo de leitura: 5 minutos

A luz artificial se tornou uma importante aliada no mundo moderno. É difícil imaginar nossas vidas sem esse tipo de iluminação, não é? Entretanto, desde a sua criação já foram feitos diversos tipos de lâmpadas, e as mais famosas são as incandescentes, as fluorescentes e, mais recentemente, o LED. Porém, uma questão vem sendo levantada nos últimos tempos: luz de LED prejudica a visão?

A verdade é que qualquer tipo de iluminação utilizada incorretamente pode ser prejudicial. Ou seja, o problema não é a lâmpada LED, mas sim o uso errôneo e instalação incorreta da peça. Para quem já tem problemas de visão, esse cuidado deve ser redobrado.

Para não ter a visão prejudicada utilizando as lâmpadas LED incorretamente, veja as dicas a seguir de como utilizá-la da maneira certa.

1. Saiba a composição da lâmpada LED

A lâmpada LED veio como uma substituta para as lâmpadas incandescentes e fluorescentes, que tinham um consumo maior de energia emitindo uma baixa luminosidade. Além disso, elas também geravam uma grande quantidade de calor, o que não ocorre no LED pois ele utiliza um filamento.

No entanto, com a tecnologia LED foi produzido um produto em material semicondutor percorrido pela corrente elétrica para iluminar. O LED tem baixa tensão e não faz uso de elementos tóxicos na composição, como sódio e mercúrio.

Assim, a lâmpada pode ser reciclada, o que a torna mais sustentável. Esses aspectos são bons benefícios, já que as lâmpadas não oferecem perigos à saúde. O mais interessante é que, além de todas essas vantagens, o LED ainda tem um excelente fluxo luminoso.

2. Evite dormir com a luz acesa

Não há evidências científicas de que dormir de luz acesa causa algum dano à visão. No entanto, há dois pontos a serem considerados para não dormir com a luz ligada:

  • a claridade afeta nosso ciclo biológico e atrapalha a produção hormonal, pois o corpo não consegue identificar que é o momento de descanso devido à presença de luz;
  • apesar de ser econômica e ter uma alta durabilidade, deixar lâmpadas acesas durante a noite pode encarecer a conta de energia no fim do mês.

Portanto, mesmo que não cause problemas relacionados à visão, apagar as luzes para dormir é fundamental. Assim, é possível ter uma noite de sono mais restauradora.

3. Não utilize a luz por muito tempo

A luz artificial é encontrada em diversas intensidades. Quando um local não é iluminado devidamente (seja pela ausência de luz ou o excesso dela), são os olhos que sofrem as consequências desse erro. Uma sala pequena que conta com lâmpadas que têm um forte fluxo luminoso pode ser danoso, pois a pupila se contrai e isso gera desconforto. Dessa forma, os olhos se forçam para deixar as pupilas mais fechadas e evitam que entre grande quantidade de luz.

A luz em excesso pode resultar em dores de cabeça, fadiga, irritação e cansaço ocular. Para evitar essa exaustão e poupar a visão de tamanho desgaste, o ideal é estudar as melhores opções de lâmpadas para cada ambiente. Outro ponto interessante é tentar aproveitar ao máximo a luz natural.

Os olhos utilizam seus músculos para regular o foco e a entrada de luz, e para não dar tanto trabalho para a visão ajustar essas mudanças, a melhor alternativa é fazer uma iluminação adequada. Mesmo aplicando as melhores luminárias com as lâmpadas de LED certas, ainda assim é preciso ter cuidado para não usar as luzes por muito tempo.

4. Escolha as lâmpadas de qualidade

Basta olhar no mercado para encontrar milhares de opções de lâmpadas LED. São os mais variados modelos, tamanhos, potência e outras características. Algumas delas podem até ser bonitas e apresentam um bom resultado. Entretanto, a longo prazo elas talvez não tenham um desempenho tão incrível quanto a princípio, e isso afetará diretamente a visão.

Em um ambiente de trabalho como o escritório, em que é preciso fazer leituras e outras atividades, uma boa iluminação é parte fundamental. No entanto, quando o ambiente não está com a luminosidade apropriada, os olhos fazem mais esforço. Com isso, a vermelhidão, dores de cabeça e outros sintomas começam a aparecer. Por vezes se acredita serem outros problemas, mas uma simples troca de lâmpada resolve essa situação.

As lâmpadas LED são feitas para durar, em média, 20 anos. Mas as de má qualidade costumam perder sua luminosidade mais rapidamente. Ou seja, vale mais a pena investir em produtos de qualidade, que a longo a prazo será a melhor escolha.

5. Instale as lâmpadas LED corretamente

Para que as lâmpadas LED funcionem adequadamente, fazer a instalação correta é essencial. O mal colocamento do item no bocal ou uma fiação mal instalada podem representar perigos. Mas, não apenas isso, a peça poderá não funcionar como deveria, em que a luz sofre oscilações e provoca cansaço nos olhos.

Esse desconforto talvez gere resultados mais sérios quando unido a outros fatores que prejudiquem a visão a longo prazo. Portanto, seguir rigorosamente as recomendações do fabricante para a instalação é algo indiscutível.

6. Use as luminárias indicadas para cada ambiente

Em um espaço de descanso como o quarto, a instalação de lâmpadas com tom muito frio ou com fluxo luminoso intenso não traz bons resultados. Algumas luminárias são feitas para o uso de luz mais forte, como é o caso dos refletores. Enquanto isso, outras são para iluminação secundária, como as arandelas. E é por isso que a escolha certa fará toda diferença em como ficará a claridade dos ambientes.

Optar pelas luminárias adequadas para cada espaço é fundamental para não errar na iluminação e acabar forçando a vista das pessoas. Tanto a luz natural quanto a artificial chegam aos olhos como se fossem uma onda, atravessando a córnea e indo até a retina. Dessa maneira, as imagens são formadas e enviadas por células ao cérebro, e a luminosidade é parte essencial desse processo.

Portanto, nunca deixe as luzes na direção dos olhos das pessoas, independentemente do tipo de luminária. A iluminação direta deve ser utilizada em casos específicos, como para dar destaques a elementos da decoração ou em lugares em que as atividades exigem uma luz mais direcionada.

Agora, quando surgir a pergunta “luz LED prejudica a visão?”, você saberá mostrar apenas todos os pontos positivos de optar pelas lâmpadas desse tipo. Como ficou claro no texto, o problema não é o LED em si, mas o uso incorreto que muitas pessoas fazem do produto. Logo, apontar os benefícios dessa escolha é a melhor alternativa para provar a sua eficiência.

Quer receber mais conteúdos como este? Assine nossa newsletter para receber tudo no seu e-mail!