Tempo de leitura: 5 minutos

Não é novidade que as lâmpadas de LED revolucionaram o mercado eletroeletrônico. As vantagens desse tipo de iluminação vão muito além da economia, que faz a conta de luz pesar menos no bolso ao fim do mês.

Mais eficientes e duráveis que as convencionais, as lâmpadas de LED são mais sustentáveis, pois reduzem o gasto energético, não geram resíduos tóxicos e nem emitem gases que provocam o efeito estufa.

Entenda agora todos os benefícios e como funciona o LED para que você se convença de que essa é a melhor escolha para sua casa!

O que é e como funciona o LED?

LED é a abreviação para Light Emitting Diode, ou seja, Diodo Emissor de Luz, e é assim que ela emite luz. Mas o que é Diodo? Diodo é um componente eletrônico feito de germânio ou silício. Existem vários tipos, mas o LED tem essa característica de emitir luz quando uma corrente elétrica passa por ele.

Essa forma de transformar energia elétrica é bem diferente das lâmpadas incandescentes, por exemplo. Essas lâmpadas antigas têm um filamento metálico que é aquecido pela energia e, assim, emitem luz. No LED, a iluminação ocorre quando a corrente elétrica percorre o material. Então, a parte mais importante de um LED é seu chip, que mede cerca de 0,5 mm.

Outra característica é a capacidade de gerar luz com baixo consumo, pois necessita de uma quantidade menor de potência para proporcionar o mesmo fluxo luminoso que uma lâmpada incandescente ou fluorescente, por exemplo. Esses produtos não precisam de um reator para funcionar.

Por que o LED é mais sustentável?

Além de toda essa tecnologia, a sustentabilidade é outro ponto forte. As lâmpadas são constituídas praticamente somente de materiais recicláveis, o que torna o descarte muito mais fácil. Não apresentam chumbo e mercúrio, que são dois elementos presentes em tecnologias mais antigas, mas extremamente nocivos ao meio ambiente.

O fato de consumirem menos energia elétrica é outro ponto importante com relação à sustentabilidade. As hidrelétricas, principal forma de geração de energia no Brasil, causam grandes danos ao ecossistema nos lugares onde estão instaladas. Então, quanto menos eletricidade a população necessitar, menos necessárias serão novas hidrelétricas.

Quais as vantagens das lâmpadas de LED?

Os benefícios do LED são superiores ao das outras lâmpadas disponíveis no mercado. Seja para sua residência, seja para iluminação industrial e de escritórios, escolher esse tipo de tecnologia diminuirá seus gastos com a conta de luz e manutenção.

A vida útil de uma lâmpada LED pode chegar a até 50.000 horas de uso, o que é o dobro das fluorescentes compactas e o triplo das de modelo tubular. A menor necessidade de trocar reduz o custo com manutenção — ponto importante para indústrias e escritórios.

Os produtos disponíveis no mercado atualmente proporcionam eficiência energética superior às outras tecnologias, pois são capazes de iluminar mais, com uma potência menor e, assim, economizar energia.

A unidade de medida que mede a eficiência luminosa de uma lâmpada é chamada de Lúmen. Já o Watt, ou potência, diz respeito ao consumo de energia. Então, a melhor lâmpada é sempre aquela que ilumina bastante (em lúmen), com poucos Watts. É exatamente nesse ponto que está a vantagem do LED.

É por conta dessa eficiência luminosa que você compra LEDs de 18W para substituir lâmpadas incandescentes de 60W. E é exatamente nessa diferença que está a sua economia.

Outras vantagens dessa tecnologia são que elas operam em baixa voltagem e não esquentam, o que as torna mais seguras para manusear e instalar. Elas também não emitem radiação ultravioleta e infravermelho, o que as faz interessantes até para o cultivo de plantas. Por fim, oferecem grande variedade de modelos e cores, como você verá a seguir.

Todos os LEDs são de qualidade?

Para comprovar essa eficácia nos produtos oferecidos pelo mercado, é preciso conferir se as lâmpadas de LED encontradas nas prateleiras têm selos de qualidade do INMETRO com o número do registro e ano de fabricação. O ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia) atesta o nível mínimo de eficiência energética do produto.

Além disso, o fabricante precisa trazer na embalagem informações técnicas de potência (W), fluxo (lm), temperatura de cor (K) e eficiência luminosa (lm/W).

Quais são as cores e modelos de LED?

Uma das características das lâmpadas LED, e que chama muita atenção de arquitetos, engenheiros e designers de interiores, é o grande número de possibilidades que elas oferecem — cores, tamanhos, modelos.

Quando foi descoberto pelo pesquisador Nick Holonnyak Jr., em 1962, o LED emitia apenas a cor vermelha a olho nu. Só em 1971, é que surgiu o LED verde e o amarelo, mas foi apenas em 1995 que se conseguiu obter a cor branca a partir dessa tecnologia. Hoje em dia, no entanto, elas estão disponíveis nas cores branco frio, quente e neutro, além de vermelho, verde, azul e na combinação desses tons (formando outras possibilidades).

Cômodos diferentes pedem LEDs diferentes, de acordo com a utilização do local. Na hora da compra, certifique-se sobre a Temperatura de Cor (K) indicada na embalagem. Isso porque os tons mais quentes são mais interessantes para quartos e salas, enquanto o branco frio, mais azulado, é mais indicado para escritórios e locais onde você necessita de uma iluminação que promova alguma atividade cerebral.

Além disso, elas estão disponíveis em versões que proporcionam uma luz mais difusa, ideal para iluminações indiretas ou para fazer a luminescência geral do ambiente. Existem ainda as lâmpadas direcionadas, ideais para destacar algum detalhe na decoração ou para mesas e bancadas, em que é necessário bastante claridade.

Outros produtos em LED são as fitas de LED (ideais para decorações e detalhes) e os refletores, que podem ser até utilizados para iluminação de fotografia (o fato de não esquentarem o ambiente é um ponto importante). Por fim, há os produtos direcionados para grandes ambientes, como as lâmpadas de alta potência e os modelos para indústrias.

Como é a relação custo-benefício?

As lâmpadas de LED tendem a custar um pouco mais se comparadas às incandescentes e fluorescentes, o que acaba assustando os consumidores. Por outro lado, já é possível encontrar, no mercado, opções de lâmpadas LED com preço igual ou, até mesmo, menor que as convencionais.

De todo modo, é preciso compreender que esse é um investimento de médio prazo: mesmo se o LED for um pouco mais caro que as lâmpadas convencionais, o gasto é compensado pela economia na conta de luz e pela menor necessidade de manutenção. Além disso, por conta da eficiência do LED, você não precisará de tantas lâmpadas, o que é uma vantagem na hora de fazer um projeto luminotécnico, por exemplo.

Ter um produto de qualidade e sustentável em casa ou no escritório é sempre benéfico. Seja para o bolso, seja para a natureza, investir em uma lâmpada LED significará pensar a médio prazo e sentir o retorno aos poucos. Em construções mais novas e modernas, essa sempre é a opção para iluminação, pois a maioria dos consumidores e profissionais já entende a ótima relação custo-benefício do LED.

Agora que você já entendeu como funciona o LED e todos os seus benefícios, que tal conferir algumas luminárias do estilo Plafon? Elas são ideais para fazer uma iluminação geral do seu cômodo!