Tempo de leitura: 3 minutos

Quem está construindo ou renovando um imóvel conhece a necessidade de pensar sobre alternativas de consumo quando o assunto é energia elétrica. É preciso diminuir o consumo, tanto para ser sustentável quanto para economizar na conta do fim do mês. E a iluminação da casa tem um papel importante para atingir esses objetivos. A questão é que muita gente se pergunta qual é a melhor escolha para esse fim: lâmpada LED ou fluorescente?

Neste post, mostraremos os prós e os contras de cada opção para que você possa fazer a melhor escolha para a sua necessidade. Vamos lá?

A eficiência energética

Basta pensar na palavra lâmpada para pensar no formato arredondado, de vidro, com o filamento central parecido com uma mola e a rosca para encaixe no soquete. Até alguns anos atrás, a maioria dos lares era iluminada com esses modelos, as famosas lâmpadas incandescentes.

Mas a modernidade chegou trazendo opções que ajudam a iluminar o ambiente gastando bem menos. Enquanto uma incandescente transforma apenas de 5% a 10% da energia gasta em luz, as fluorescentes chegam a 85%. Já as LED, 40%.

Isso significa que esses novos modelos desperdiçam menos energia para produzir luz. E quando pensamos a médio e a longo prazo, essa diferença ajuda a diminuir o uso de eletricidade e, consequentemente, a poupar dinheiro. Dessa forma, todo mundo sai ganhando.

A lâmpada LED e fluorescente

É lógico que toda escolha tem aspectos positivos e negativos. Por isso, quanto mais informações, mais acertada será a sua decisão. E um dos fatos é que, optando pela lâmpada LED ou fluorescente, o investimento inicial será maior do que seria nas antigas incandescentes. Mas a compensação fica na durabilidade de ambas, que costumam ultrapassar muito os modelos com filamento.

Um fato que pesa a favor dos modelos LED e fluorescentes é o consumo. Por exemplo: você quer reproduzir a iluminação da incandescente de 60 watts (unidade de medida da energia elétrica). Para isso, precisa de uma versão fluorescente compacta de 15 watts (¼ do consumo) ou de apenas 7 watts na versão LED — uma economia de quase 90%.

Os mitos

Um mito bastante difundido a respeito da lâmpada LED e fluorescentes: o uso de dimmers (controles da intensidade de luz). Se você usa ou vai usá-los, vale lembrar que apenas o modelo padrão de ambas não é dimerizável. Existem versões que permitem o uso do dispositivo sem problemas.

Outro mito é o de que as lâmpadas LED são mais fracas do que as fluorescentes. Na verdade é preciso prestar atenção a 2 fatores: a equivalência de watts e a cor (uma variação entre brancas frias e brancas mornas).

Escolhendo corretamente entre lâmpada LED ou fluorescente, a iluminação é exatamente a mesma. Na verdade, na comparação, mesmo que as LED sejam mais caras, tem uma durabilidade muito maior e consumo até 50% menor.

Agora que você já entendeu as diferenças, os prós e os contras de cada produto, que tal ajudar outras pessoas a se informarem sobre as vantagens desse investimento na iluminação de casa? Compartilhe este post nas suas redes sociais!

Aproveite e baixe aqui um e-book gratuito com 7 dicas infalíveis de economia de energia!