Tempo de leitura: 5 minutos

A nossa casa é o nosso refúgio. E, para isso ser realidade, precisamos dar atenção aos detalhes. Do projeto à decoração, tudo precisa ser pensado para nos satisfazer, relaxar e levar aconchego para o nosso lar — e a iluminação é uma das partes importantes para qualquer residência confortável.

Além de fornecer a luz à noite, uma casa bem iluminada aproveita também a luz natural e distribui os pontos de luminosidade nos ambientes certos. Para ajudá-lo na missão de iluminar bem todos os cômodos, entenda agora um pouco mais sobre o tema e como escolher a iluminação ideal para casa.

Aprendendo mais sobre iluminação

Existem quatro tipos de iluminação e cada uma tem um objetivo e uma aplicação mais adequada. É importante utilizá-la corretamente e, na medida do possível, distribuir e variar entre os tipos de iluminação para proporcionar uma decoração mais interessante ao seu lar. Confira quais são os tipos:

Luz natural

É a que entra pelas portas, janelas e claraboias, variando de intensidade conforme o dia. É essencial para dar vida ao ambiente, além de que o sol é ótimo para evitar umidade na casa.

Iluminação ambiente

É aquela iluminação geral do ambiente, ou seja, a principal. Ela geralmente fica no teto e pode aparecer em lustres, spots, plafons e sancas de gesso. Pode ser composta de apenas um ponto (no centro do cômodo) ou distribuída em trilhos de lâmpadas e vários spots.

Iluminação específica

É usada para iluminar uma parte do ambiente. Geralmente, é feita com uma luminária ou arandelas e tem o objetivo de possibilitar a utilização do espaço iluminado. Exemplos: luminária para a mesa do escritório ou spots para iluminar dentro do guarda-roupa.

Iluminação de realce

É utilizada para destacar um objeto ou área de interesse para exibição da arquitetura ou decoração. Também provoca um ponto visual de interesse na área e leva bastante informação de design para o ambiente. Exemplos: spots de LED para iluminar quadros.

Cores e temperaturas da iluminação

Além dos tipos de iluminação, existem cores e temperaturas para escolher. A cor é, literalmente, a tonalidade que a lâmpada tem (branca, amarela, vermelha, azul etc.). A temperatura, no entanto, é a variação das luzes brancas de LED, sendo que algumas irradiam tons mais amarelados, e outras, tons mais azuis. Entenda abaixo cada um dos tons e como aplicá-los:

Branco quente

Com um toque dourado, remete ao aconchego e ao relaxamento, sendo a preferida para quartos, sala de estar e jantar.

Branco frio

Praticamente sem tons amarelados, é ideal para banheiros, cozinhas, escritórios, e também para outros locais em que as pessoas precisarão de mais atenção para fazer determinadas tarefas.

Branco neutro

Levemente amarelada, a iluminação branco neutro é a intermediária entre os tons branco frio e branco quente, tanto em cor quanto em sensações. É bastante utilizada em shoppings e espaços comerciais por proporcionar estímulo, mas sem exageros.

Iluminando os ambientes

Quartos

Como os quartos são ambientes de descanso, a iluminação precisa ser voltada para o relaxamento e o bem-estar dos usuários. Opte pela iluminação indireta em branco quente, que direciona a luz para cima e espalha-se de forma suave pelo ambiente. Você pode utilizar luminárias LED, spots sobrepostos no gesso do teto, abajures e pendentes.

Sala de estar

A sala de estar precisa ser acolhedora e agradável, pois é o local de reunião da família e das visitas. Crie diferentes fontes de luz em lustres, spots, fitas de leds e luminárias. Cuide para que a iluminação possa ter funções variadas, podendo ser mais clara, para receber as visitas, e mais escura, na hora de assistir televisão.

Cozinha

Lugar de integração e preparo dos alimentos, a cozinha precisa ser bem iluminada. Se for grande, crie uma iluminação ambiente e também aposte em luzes brancas e frias, direcionadas aos locais de preparo e visualização dos alimentos.

Caso a sua cozinha seja pequena, ilumine todo o local com luz LED branca em uma luminária horizontal ou embutida. Para dar um clima mais intimista, opte pelas luminárias sobre a bancada ou sobre a mesa de refeição.

Sala de jantar

Por ser um ambiente para receber amigos e família, escolha lâmpadas mais aconchegantes, como a branco quente de LED. O lustre ou os pendentes sobre a mesa principal ficam muito bonitos, mas equilibre-os com uma iluminação nas laterais do móvel. Assim, você diminui as sombras e deixa o ambiente iluminado de forma uniforme.

Escritório

Escolha a iluminação de acordo com a utilização do escritório. Lembre-se de ter luzes específicas para a mesa principal, para o espaço de leitura e uma luz geral. Você pode variar entre a luz branca neutra ou fria.

Banheiro

Para iluminar o banheirosão necessários dois tipos de iluminação: a ambiente e a direcionada em pontos específicos, como o espelho da bancada e o box. Não utilize lâmpadas refletoras e nem quentes para não fazê-lo transpirar e nem criar sombra no espelho, dificultando determinadas atividades, como barbear-se ou maquiar-se. Utilize, para essa finalidade, lâmpadas LED frias.

Varanda

A varanda é um local de integração e tranquilidade, geralmente preenchido com plantas. Por isso, você pode utilizar uma iluminação ambiente e também direcionada a alguns pontos.

É possível iluminá-la com spots balizadores para área externa (que ajudam a iluminar pontos específicos) e refletores de LED. Caso a sua varanda seja utilizada para entrar e sair da casa, é necessário iluminá-la mais fortemente com lâmpadas frias para trazer segurança.

Garagem

garagem também merece iluminação, e a arandela é o tipo ideal para esse ambiente. Ela proporciona uma luz indireta, mas que faz uma marcação nas paredes e colunas da área.

Se a garagem ficar exposta à rua, utilize as arandelas com lâmpadas mais quentes e uma luz geral mais fria. Os refletores de LED também são indicados para esse espaço por proporcionarem uma boa iluminação.

Para economizar energia, opte pelos modelos com sensor de presença, que acendem automaticamente apenas quando alguém se aproxima.

Iluminando de forma ideal

Opte por lâmpadas mais econômicas

As lâmpadas mais indicadas para utilizar, hoje em dia, são as de LED. Apesar de terem um valor um pouco mais alto, quando comparadas às lâmpadas fluorescentes, elas proporcionam uma economia de até 80% na conta de luz e duram até 25 vezes mais.

Soma-se isso ao fato de elas não esquentarem (podendo ser instaladas sem preocupação atrás de móveis e próximo a vidros) e de apresentarem grande variedade de modelos e estilos.

Utilize cores claras no teto

Além de deixar o ambiente mais amplo visualmente, a cor clara no teto favorece a iluminação por refletir mais a luz. Assim, você não precisará de lâmpadas tão potentes para ter um ambiente bem iluminado. O mesmo vale para as paredes e cortinas.

Tenha atenção com objetos que refletem

É preciso um cuidado extra caso você tenha espelhos e objetos que refletem no ambiente. Para evitar que a luz reflita e vá direto nos seus olhos ou de quem estiver passando, evite direcionar a iluminação para o objeto ou deixá-la na mesma altura que ele. O mesmo vale para a televisão: cuidado para que a luz não reflita na tela, atrapalhando quem está assistindo.

A iluminação ideal para casa é uma importante etapa do acabamento da residência e, por isso, precisa ser pensada com calma e estudo. Com essas dicas, você conseguirá fazer a iluminação ideal para a casa, sem cometer erros.

Para escolher boas lâmpadas e aprender ainda mais, veja agora por que investir em lâmpada de led residencial.