Tempo de leitura: 3 minutos

Todo mundo sabe que a iluminação de LED é sinônimo de sustentabilidade e economia em praticamente qualquer lugar. Mas você já parou para pensar como funciona o LED e por que essas lâmpadas são tão eficientes?

A história desse tipo de lâmpada é relativamente recente, mas seu impacto no mundo está sendo gigantesco. Neste artigo, você entenderá como funciona o LED, seus principais tipos e aplicações e o que o torna tão popular nos dias de hoje. Vamos lá?

Quais são as utilidades do LED?

O LED permitiu uma série de facilidades desde o seu surgimento, em 1963. Em pouco tempo, essa tecnologia se espalhou pelos produtos, cidades e residências que, a partir de então, contavam com um dispositivo surpreendentemente econômico em relação aos modelos convencionais.

O LED é ideal para iluminar locais de difícil acesso e grandes áreas, além de ser usado na fabricação de instrumentos musicais, na microeletrônica, painéis, veículos e sinalizadores. Como se não bastasse, ele ainda moderniza a iluminação pública com postes e semáforos sustentáveis.

Quais os principais tipos?

Existem diversos tipos de LED disponíveis. Nos comuns, a luz é distribuída por meio do encapsulamento (geralmente de plástico e opaco), tornando a iluminação difusa. Os LEDs de alto brilho, por sua vez, se diferem apenas pelo encapsulamento, que nesse caso é transparente, com luz focada.

Há também os LEDs orgânicos (ou OLEDs), bem pequenos, que são empregados na fabricação de telas de TV, tablets e celulares. A sua principal diferença em relação aos demais é a camada de emissão eletroluminescente, que consiste em um filme construído de material orgânico.

Como funciona?

A palavra LED é uma sigla para Light Emitting Diode, que quer dizer Diodo Emissor de Luz. Esse tipo de lâmpada utiliza um diodo semicondutor, constituído por cristais de silício e germânio, que emite luz visível quando energizado.

Enquanto nas lâmpadas incandescentes tradicionais a luz é obtida por meio de um filamento que precisa ser aquecido, as lâmpadas de LED geram luminosidade a partir de um meio sólido maciço. Nele, o chip semicondutor figura como o componente mais importante para o funcionamento (do contrário, não seria possível obter luz).

Quais os produtos mais vendidos?

Os LEDs são usados na fabricação de inúmeros produtos. Alguns exemplos são as fitas de LED, que consistem em pequenos LEDs ligados em série e o LED SMD, que também é composto por pequenos LEDs, porém inseridos em placas de circuito impresso.

Além do popular LED bulbo, existem vários outros modelos à venda no mercado. O LED tubular, o tipo bolinhavelamilho e espiral, por exemplo, estão disponíveis para facilitar a substituição das lâmpadas comuns por eles. Em lojas especializadas também é possível encontrar fitas, refletores, spots, e luminárias LED.

Quais as vantagens?

O LED ganha cada vez mais espaço no mercado. Alguns dos principais motivos estão ligados à sua construção simplificada e aos seus componentes que não são tóxicos para as pessoas.

Como se não bastasse, o LED não agride o meio ambiente e sua iluminação é fria e confortável. E lembre-se de que não citamos os benefícios mais relevantes: a economia na conta de luz e a durabilidade!

Como escolher uma boa lâmpada de LED?

Para quem está interessado em reduzir o valor da conta de luz substituindo a iluminação antiga pelo LED, é preciso considerar a tabela de equivalência entre os diferentes tipos de lâmpada, informação comumente impressa na embalagem.

Por regra geral, considera-se um watt de LED equivalente a 10 watts de uma lâmpada incandescente. Deve-se levar em conta também o tipo de conector utilizado e a voltagem, sendo ideal optar por modelos bivolts.

Por fim, vale ressaltar que não basta saber como funciona o LED e suas características: é fundamental pesquisar bastante, pois os valores podem variar muito entre os vendedores. Uma boa dica é consultar lojas virtuais especializadas, que geralmente apresentam os melhores preços.

Quer saber mais sobre o assunto? Descubra agora os benefícios dos refletores MICRO LED!