Tempo de leitura: 4 minutos

O uso das lâmpadas de LED tem se tornado muito comum nos últimos anos. Devido à sua alta eficiência, baixo consumo de energia e alta durabilidade, elas fazem parte dos mais diversos projetos, sejam eles residenciais ou comerciais. Mas, apesar de apresentarem tantas vantagens, é preciso saber como escolher lâmpada de LED.

Muitas pessoas saem em busca desse item tentando encontrar lâmpadas fortes para iluminar os ambientes ou a opção mais econômica, entre outros fatores. Porém, a grande questão é saber qual é a mais adequada para suprir as suas necessidades.

Pensando nisso, você descobrirá a seguir quais são as vantagens da utilização das lâmpadas de LED e qual é a mais indicada para você. Confira!

Quantos watts uma lâmpada de LED tem?

A potência de uma lâmpada é medida pelo watt — o consumo de energia — e você deve identificá-lo, pois ele varia de acordo com o modelo e o tipo de lâmpada. Isso também influencia a decisão de qual usar em cada ambiente.

A potência watt varia bastante, assim, algumas lâmpadas têm um baixo consumo e outras consomem mais. Mas isso não tem relação com a luminosidade ou a força da lâmpada, pois essa é medida por outra unidade, a de lumens.

É possível encontrar lâmpadas que consomem menos energia (watts) mas que ainda assim são capazes de emitir bastante luz, iluminando determinada área sem gastar tanto quanto as lâmpadas fluorescentes e incandescentes.

Em quais ambientes e situações ela é indicada?

Por ter surgido como uma substituta das antigas lâmpadas incandescentes e uma alternativa às fluorescentes, a lâmpada de LED pode ser utilizada nos mais variados projetos.

Ao aprender como essa lâmpada funciona, você saberá determinar o tipo mais apropriado dependendo da intenção e do tipo de iluminação desejado. Ou seja, a escolha deve estar de acordo com a iluminação almejada e o cômodo em que ela será instalada.

Caso você queira destacar um quadro ou algum objeto decorativo, tenha atenção ao nível de IRC (Índice de Reprodução de Cor). Em uma escala de 0 a 100, ele demonstra a capacidade da lâmpada de mostrar as cores como elas são com maior fidelidade.

As luzes podem ser usadas em iluminação direta com spot, fita de LED para decorar e muitas outras opções. A lâmpada de LED não gera calor, o que representa uma grande diferença em comparação com a sua antecessora.

Antes de optar por determinada lâmpada, conheça o ambiente e os detalhes do local. A partir disso, você conseguirá escolher a ideal analisando as especificações como a potência, o IRC e outros pontos importantes.

Qual tipo de lâmpada é mais forte?

Para identificar se uma lâmpada é forte o suficiente, além de verificar a potência, observe o lúmen. Ele representa a quantidade de luz emitida pela lâmpada de LED, também chamada de fluxo luminoso. 

Quando olhar a embalagem do produto, procure pelo termo “Lm/W”, em que “Lm” representa a quantidade de lumens e “W”, os watts. E não se esqueça: quanto maior o número de lumens, mais a lâmpada emite luz e deixa o ambiente mais claro.

Dependendo da aplicação e da intensidade desejada, verificar o número de lumens auxilia no momento de decidir. Se você quer uma boa iluminação — como é necessário em banheiros, por exemplo — as lâmpadas de LED com mais lumens serão perfeitas.

Qual é a melhor opção?

Para não errar na escolha e conseguir o resultado esperado, aproveitando ao máximo os benefícios das lâmpadas de LED, analisar cuidadosamente a finalidade e as opções disponíveis já ajudará bastante.

Temperatura, modelo, intensidade, local que será iluminando. São muitas coisas a levar em conta antes da escolha. Cada ambiente pede um tipo de iluminação diferente. Por isso, escolher apenas um modelo e colocá-lo em todos os cômodos pode prejudicar a decoração do projeto, afetando até mesmo a qualidade de vida de quem frequenta esses espaços.

Temperatura

Ambientes funcionais e dinâmicos pedem luzes de LED com temperatura mais fria, que variam de 6.000 k a 6.500 k, pois iluminam e deixam a área mais clara. Mas se você deseja uma luz menos intensa e mais aconchegante, procure por lâmpadas que tenham entre 3.000 k e 3.500 k, que são mais confortáveis.

As luzes com temperatura mais fria são excelentes para cozinhas, garagens e banheiros. Por outro lado, quartos e salas necessitam de lâmpadas com temperatura mais amena e quente.

Formato e tamanho

A necessidade de cada local também determina o formato que a lâmpada terá e o seu tamanho. Esses dois aspectos da lâmpada que direcionará a luz ajudam na capacidade de iluminar. Por isso, é importante definir o que você precisa.

Quanto uma lâmpada LED gasta por mês?

Em comparação com os modelos fluorescentes incandescentes, as lâmpadas de LED têm grandes vantagens: bom desempenho gastando muito menos energia. Uma luz fluorescente gasta em média 15 W, enquanto a de LED faz o mesmo trabalho gastando 8,5 W.

Essa troca pode representar grande economia no final de um ano, principalmente em lugares onde as lâmpadas costumam ficar ligadas por muitas horas. Mas os valores podem variar bastante, já que dependem de outros fatores como o período do ano e a bandeira em vigor, que pode ser verde, amarela ou vermelha.

Qual é a diferença entre lumens e watts?

Essa é uma confusão muito comum, mas precisamos deixar bem claras as diferenças entre os dois aspectos. O lúmen diz respeito ao fluxo luminoso, ou seja, à luz que é de fato espalhada pelo ambiente e à capacidade de iluminação da lâmpada. Já o watt é o consumo de energia, o que não interfere tanto na emissão de luz, se é mais forte ou mais fraca.

É possível encontrar opções que iluminam bastante (bom fluxo luminoso) e ainda assim têm uma potência baixa (watts/consumo de energia). Portanto, se você precisar de lâmpadas mais fortes, fique de olho nos lumens.

Utilizar as lâmpadas de forma adequada é fundamental e transformará os seus ambientes. Assim que você aprender como escolher lâmpada de LED, seu projeto de iluminação será muito mais valorizado.

Agora que você já sabe como selecionar a lâmpada certa, confira 6 dicas de como comprar lâmpada de LED.